- Com esta série não é pretendido fazer história, mas sim é visado, ao lado das imagens, que poderão ser úteis aos leitores, a sintetizar em seus acontecimentos principais a vida da antiga Vila dos Pescadores e da Cidade de Porto Alegre inserida na História.

Não se despreza documentos oficiais ou fontes fidedignas para garantir a credibilidade; o que hoje é uma verdade amanhã pode ser contestado.

A busca por fatos, dados, informações, a pesquisa, reconhecer a qualidade no esforço e trabalho de terceiros, transformam o resultado em um caminho instigante e incansável na busca pela História.

Dividir estas informações e aceitar as críticas é uma dádiva para o pesquisador.Este blog esta sempre em crescimento entre o Jornalismo, Causos e a História.Haverá provavelmente falhas e omissões, naturais num trabalho tão restrito.

Qualquer texto, informação, imagem colocada indevidamente, dúvida ou inconsistência na informação, por favor, comunique, e, aproveito para pedir desculpas pela omissão ou inconvenientes.

(Consulte a relação bibliográfica e iconográfica)

Poderá demorar um pouquinho para baixar, mas vale à pena.

vilaguaiba@gmail.com

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Dados

Dados Gerais
Villa Guayba
Desde 1941

Urbano e Rural
Junto, Várias Etnias 



- A Vila dos Pescadores (atual Villa Guayba), é uma comunidade residencial de pescadores, diante da sua localização privilegiada no Bairro Assunção, sabe o valor de toda a história que passou por ela e que ainda é contada e escrita dia a dia pela comunidade.
 
A Vila dos Pescadores, fundada em 1941, por pescadores do Estuário do Guaíba (de onde vem a origem de seu atual nome), a pequena faixa de terra está encravada atualmente entre o clube náutico Veleiros do Sul e Sava (Sociedade Amigos da Vila Assunção).

Memórias

 Lembranças do Passado                           P
- Como no início de nossa colonização, em Porto Alegre haviam muitos estrangeiros: portugueses, alemães, italianos, franceses, ingleses, afros, asiáticos, que aqui exerciam seu ofício, e dos nativos da terra os Guaranis aprendemos novos ofícios e utilizações, e todos nos ensinaram o valor do trabalho e das tradições de cada um para todos.

Famílias

Família Rosa - Fundadores
Patriarca: - Cairo Correa Rosa e Maria Cosme Rosa
Filhos: - José Carlos,
Jorge,
Jane Rosa da Rosa,
Júlio,
Janete Cosme da Rosa,
Joanita,
Joel,
João Cosme da Rosa,
Maria Amélia
Chegou: - 1941
Origem: - Ilha da Pintada, Porto Alegre
A família atualmente pesca por esporte e lazer
Moram na vila: - João Cosme da Rosa, Jane Rosa da Rosa, Janete Cosme Rosa Braga

Família Fagundes Rosa
Matriarca: - Erotildes Fagundes Rosa
Filhos: - Eronilda,
Cleomar,
Cleusa,
Clovis,
Chegou: - 1945
Origem: Tramandaí e o pai de Rio Pardo
A família atualmente pesca por esporte e lazer
Mora na vila: - Cleomar Costa da Rosa

Família da Silva
Patriarca: - Alcides José da Silva
Filhos: - Enio José da Silva,
Hermes,
Cléia,
João,
Maria Iara José da Silva.
Chegou: - 1946
Origem: - Itapuã, Viamão

Família Nunes
Patriarca: - Marcílio da Silva Nunes e Sueli Correa Nunes
Filhos: - Jorge,
José Carlos,
Júlio César,
Maria Lúcia,
Maria da Graça,
Maria de Fátima.
Chegou: - 1947
Origem: - Porto Alegre
Moram na vila: - Maria da Graça e Maria Lúcia.

Família de Souza
Patriarca: - Eurides José de Souza e Neuza Costa da Rosa
Filhos: - Julio Cesar de S. Souza,
Fabio Cesar S. Souza,
Marcos Cesar S. Souza.
Chegou: - 1962
Origem:
A família atualmente pesca por esporte e lazer

Família de Freitas
Patriarca: - José Álvaro Barbeitos de Freitas
Filhos: - Claudia Regina Rosa Freitas,
Luciana Rosa de Freitas,
Ana Cristina de Freitas de Ávila,
Rosane Rosa de Freitas.
Chegou: - 20.03.1976
Origem: - Porto Alegre
A família atualmente pesca para ajudar na renda familiar

Família Braga
Patriarca:
Filhos:
Chegou:
Origem:

Família Müller
Matriarca: - Iara Bauer Pires
Filhos: - Solange Pires Müller,
Jaime Pires Müller.
Chegou: - 2006
Onde: Florianópolis – SC
Origem: - Bairro Rubem Berta, Porto Alegre

Nossas Histórias

A atividade da Pesca
- Na antiga Vila dos Pescadores a atividade de pesca artesanal realizada por seus moradores no estuário, lagoas costeiras e nos rios da região são normalmente utilizados botes chamados caíques a remo ou motorizados (batera), e empregados diversos aparelhos, como redes tipo “aviãozinho”, covos, rede de emalhar, tarrafas e espinhéis.

A Festa da Igreja
- Esta é a festa característica da comunidade da Villa Guayba (antiga Vila dos Pescadores), a famosa festa da igreja. Uma festa de etnias, a comunidade tem data fixa para sua festa, cuja finalidade é conseguir fundos para a paróquia e as ações da própria comunidade, além de ser uma bela oportunidade de confraternização.
Nossas festas são anunciadas em um quando negro na parede, para a comunidade, e para as pessoas distantes, são impressos convites.

- Um dia antes, se realiza o Grande Baile dos Pescadores, à noite, todos se preparam; os melhores trajes, o melhor perfume, o melhor cabelo.
A janta nas casas, neste dia é servida mais cedo, os homens se preparam primeiro e as mulheres, como elementar, vão aproveitar até o último momento para o glamour.
O salão está cheio, a cerveja bem gelada, as moças se agitam, formam-se grupo, e riem muito, esperam o indescritível momento do início do baile.
Vem à primeira música para estímulo, preparar o espírito de todos, - a música agora já está a toda e a pista vai ficar cheia por horas. Vários estilos musicais são tocados, um fandango, um bom forró pé de serra e outras populares.
Os mais velhos como sempre mostram maior disposição, girando e girando pelo salão.
No fim do baile, já em casa, pelas altas horas, os mais novos tem de dar a cama para as visitas, estas com sono e meio cambaleante. Todos vão dormir, pois pela manhã a festa continua.

- Já é o outro dia, o dia da Kermesse, bandinha e dj, roda da fortuna, tudo premiado, pescaria, as barraquinhas, boa comida, o bom peixe assado, este é o estado de espírito de uma festa aguardada com ansiedade.
O sino avisa que o culto vai começar na Capela dos Navegantes, e convida toda a comunidade a participar, o hino inicial e tocado e cantado.
O culto é ecumênico festivo pelo regozijo de estarmos unidos e bem.
Com o fim do culto, foguetes estouram na Vila dos Pescadores, todos se dirigem a festa, o som do musical começa com um bom dobrado que faz lembrar os “bons tempos”.
Momentos que sempre serão bons se a gente souber vivê-los, no momento em que se apresentam.
Um grande número acompanha os músicos com dança, e outros vão até o balcão onde as primeiras cervejas fazem a festa, também há caipirinha e whiski, e muito refrigerante para a gurizada.
E o almoço festivo, tem o que é melhor, peixe e frango, farinha e salada.
Não é possível fazer uma Kermesse sem Roda da Fortuna, sem esquecer a Grande Rifa, e o seu prêmio feito pelas mãos habilidosas da comunidade.
Depois do bom almoço, uma boa roda de bate papo, com mais danças, cervejas, barraquinhas e brincadeiras, é claro!
Os grupos organizados da comunidade, infantil e adulto participam com apresentações de coral, teatro, danças, karaokê.

- À noite, a última atração a queima de fogos para bons fluídos no fim da festa.

- Assim, olhando de longe, o ambiente é típico, as lâmpadas, a brisa do Guaíba, os fogos, as bandeirinhas, muito coloridas, parecem mãos em despedida, os responsáveis começam a tudo desmontar e recolher, fazer as contas, - e ficamos com aquele gostinho de quero mais, para o próximo ano, aguardando os novos festeiros e a comissão se reunirem.
– Assim é a Kermesse na Vila dos Pescadores, como um bom pescador um pouco mais, um pouco menos! – Será!

Mostra
Na 7ª Bienal do MERCOSUL a comunidade teve a oportunidade de mostrar um pouco de sua história, através do projeto “Percursos Urbanos”, onde a comunidade participou com a temática Vila dos Pescadores - Um Passeio pela História de Porto Alegre”.

Festa dos Navegantes
- Conforme Dona Maria Iara José da Silva:
Uma das mulheres-memória da comunidade lembra com alegria da Festa de Nossa Senhora dos Navegantes, quando as terreiras de umbanda faziam uma procissão naval , já que no bairro de Navegantes era com o ritual católico. Após algum tempo estes festejos foram proibidos. Na Semana Santa havia um grande movimento. Toda a cidade vinha para comprar os peixes por eles pescados.

Nos fins de semana a diversão era a praia, próxima do Timbuka, famoso bar a beira do Guaíba junto a Praça Araguaia (já demolido). Pessoas de todas as classes sociais ocorriam ao local.

O Guaíba é tudo. Para mim ele é vida!
Eu não conseguiria morar num lugar fora daqui. Eu tinha um tio que era um pescador, o tio Janga. Ele morou aqui. Morava ao lado da tia China. Ai veio um “boato que iam tirar a vila”. O tio Loca ficou apavorado e vendeu sua casa, com medo que fossem tirar dele. Compraram um terreno na Otto Niemeyer, e meu tio durou só mais seis meses. Acho que eu não consigo viver longe daqui. Por mais dinheiro que eu tenha na vida... Isso aqui não é considerado uma vila. Isso é muito especial. As pessoas são todas honestas. Aqui tu podes sair, dormir cm a porta aberta. (entrevista de 15/12/2006 – adaptado da revista História e Acervos, Uma Memória que teima em sobreviver na “Beira d’Água” por Márcia Mello da Silva)

Naquela época
Conforme o Tenente Sr. Enio José da Silva:
Eu e meu pai, quando eu era pequeno, fazíamos trabalhos nos jardins: - capinar, cortar grama, aquela coisa... o pessoal gostava muito da gente, Trabalhavam muito bem, até. Reconheciam a gente como pessoas humildes e trabalhadoras, pessoas sérias. Naquela época não havia incomodação, Né!? (entrevista de 10/12/2006 – adaptado da revista História e Acervos, Uma Memória que teima em sobreviver na “Beira d’Água” por Márcia Mello da Silva)

Memória
A história da comunidade da Vila dos Pescadores e seus aspectos estão inseridos:
- Na revista História e Acervos, de 2006, nº 13, pelo texto Uma Memória que teima em sobreviver na “Beira d’Água” de Márcia Mello da Silva.

- No trabalho de conclusão pela UFRGS de Fernando Rosa da Rosa, “A Paisagem Urbana e o Pescador”, trabalho de conclusão de 2009.

Etnias

Grupos
Vários grupos étnicos compõem os moradores e descendentes da Villa Guayba.

- Portugueses: - foram os pioneiros neste maciço da Ponta do Dionysio, desde o século XVII onde as boas tradições principalmente açorianas, ainda são mantidas, como as festas religiosas e o famoso fandango, sinônimo de dança e festa, assimilada pelo povo Gaúcho.

- Alemães: - vários descendentes moram na Villa Guayba, que chegaram à região desde 1880, então vamos recordar com o “Spruch”, pequenos quadros de origem germânica (alemã), emoldurados ou não, onde estavam estampados imagens e algum provérbio, lema ou versículo bíblico, vejamos alguns:

Göttlicher Haussegen
Wo Glaube, da Liebe,
Wo Liebe, da Friede,
Wo Friede, da Segen,
Wo Segen, da Gott,
Wo Gott, keine Noth.
Tradução:
Benção para a Casa
Onde (há) Fé, lá (há) Amor,
Onde (há) Amor, lá (há) Paz,
Onde (há) Paz, lá (há) Benção,
Onde (há) Benção, lá (há) Deus,
Onde (há) Deus, lá não (há) Infelicidade.

Häusliche Tugeden
Des hauses Zier ist Reinlichkeit,
Des houses Ehr, Gastfreundlichkeit,
Des houses Segen, Frömmigkeit,
Des houses Glück, Zufriedenheit.
Tradução:
Virtudes Caseiras
O enfeite da casa é a limpeza,
A honra da casa é a hospitalidade,
A bênção da casa é a piedade,
A felicidade da casa é a satisfação.

- Afros: - sua descendência está mesclada em nossa composição étnica, em nosso vilarejo contribuem com toda a sua sina (resistência) e tradição, que desde o século XVIII estão nestas terras, para a grandeza deste caldeirão cultural de bem comum, o Batuque Festivo, o Entrudo, o Carnaval, Mãe Rita e o Príncipe Custódio.

- Italianos: - os galegos, desde 1826, já se tem a presença de italianos em Porto Alegre, já chegaram a ser 10 % da população, a grande colônia está localizada na Villanova d’Itália, na Zona Sul de Porto Alegre, o bom Vinho e as Frutas de Mesa, produzidos pela alegria e lavoro (trabalho) deste povo.

- Estas etnias e muitas outras estão presentes na Villa Guayba, antiga Vila dos Pescadores.

Visite

Dados da Comunidade:

 Religião                                                     V

A comunidade é servida de atendimento religioso atuante, através:

- Capela Nossa Senhora dos Navegantes
Inaugurada em 28/06/1981
(Vinculada a Paróquia sede de N. S. da Assunção)
Av. Guaíba, 48
Padre: Clóvis Quadro
Missas:
Domingo         – 20:00H
Segunda-Feira – 20:30H

- Igreja Evangélica Nova Aliança
Av. Guaíba, 29

- Casa de Religião Africana
Cartas e Búzios
Av. Guaíba, 58

 Aspectos Turísticos                                         P

Mesmo com a reduzida área territorial da comunidade, a mesma expressa seu lado turístico, através da visão moderna do que lhe concerne à história, e sabemos o valor por sua localização e ponto de passagem para outros pontos turísticos de Porto Alegre, próximo a conhecida “Esquina do Rio Grande”, por sua localização junto a este grande Delta.
Porto Alegre é a sexta maior porta de entrada de visitantes estrangeiros no País.

Para a Copa do Mundo de Futebol 2014, devido sua localização e proximidade com o Estádio Beira Rio, a comunidade prestará o serviço de “Acolhimento Cadastrado”, oferecendo unidades de hospedagem para visitantes e turistas.

Observação Histórica ou Contemplação:

Capela N. S. dos Navegantes
A capela de Nossa Senhora dos Navegantes foi inaugurada em uma casa de madeira adaptada em 28 de junho de 1981, o pároco Padre Alberto Oslein, com a comunidade, uniram esforços para a construção da Capela.
Prédio em estilo eclético, na fachada o painel de azulejos pintado a mão, homenagem as origens lusitanas, com a imagem de Nossa Senhora dos Navegantes, obra do artista Inge Bohn.

Antigo Estaleiro do DAER
Na comunidade está instalado um complexo de prédios do antigo Estaleiro depois Laboratório do DAER – Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, esta estrutura está junto às margens do Lago Guaíba, atual Memorial do DAER.
O passado deste local é glorioso, até o final da década de 1950, esta área era paralela ao embarque e desembarque para as barcas que faziam o transporte de ligação com o Sul do Estado, entre Porto Alegre e a cidade de Guaíba, antes da construção da Travessia do Guaíba na várzea do Rio Gravataí, o movimento e a espera eram intensos e grandes estórias se formaram e a comunidade aqui já estava presente e instalada.

Casa do Pescador
A Casa do Pescador é o nome da sede da Associação Comunitária dos Moradores da Villa Guayba, que opera desde a fundação em 1980, neste salão é desenvolvido atividades culturais, locações e festas para a manutenção da associação e de suas atividades assistenciais.

Casa das Pescadoras
Fundada em 2009, o Grupo dos Pescadores da Vitória, foi realmente uma grande vitória da comunidade, que após alguns anos desagregados entre si, um grupo mulheres comprometidas com a cidadania se reuniram e com muita força de vontade onde atraíram novas “Pescadoras” (como são chamadas), para desenvolver atividades culturais e de cidadania, através de convênios com os mais diversos órgãos e instituições, administram o Salão Paroquial e a Biblioteca da Capela.
Localizada no salão paroquial ao lado da Capela de N. S. dos Navegantes.

Estação do Corpo de Bombeiros
A estação do Corpo de Bombeiros da Assunção está localizada exatamente sobre a plataforma de embarque e desembarque para o Serviço de Balsas do DAER.
Localizada na Villa Guayba, é administrado e operado pelo Corpo de Bombeiros da Brigada Militar, atende toda a região em situações de emergência.
Seu prédio em estilo eclético para corporação é um marco, para o tipo de construções desta atividade que tem outros similares na cidade, prédio da década de 1960, possui uma pequena torre lateral de observação e saída geral de viaturas.
O prédio de valor histórico está localizado na orla do Guaíba, foi totalmente reformado em 2009, e entregue a comunidade em 2010.

Praça Tabira
A pequena Praça Tabira, marco de concepção da década de 1960, é a área de lazer e descanso da comunidade, possui caminhos, área de ginástica e parquinho infantil, está localizada entre as principais avenidas do bairro, Guaíba e Pereira Passos, aliás, esta última fazia a ligação com o embarcadouro das barcas do DAER na travessia do Guaíba até a década de 1960.

As Residências Peculiares
O estilo construtivo eclético na Villa Guayba segue um modelo tradicional para a construção de pescadores que se observa por toda orla e litoral Sul do Brasil, casa em duas águas, porta e janela, de frente para a rua e fundos para a água, gerando um estilo único e romântico no vilarejo, atualmente outros estilos de construção se incorporaram a comunidade, mas a tradição permanece.

Orla do Guaíba, suas enseadas e rochas
A comunidade está interagindo com a comunidade e órgãos competentes para a realização de infra-estrutura e a abertura de uma ligação da Avenida Guaíba para o Lago Guaíba, para acesso ao público em geral, para visita e contemplação das belezas da orla, das construções e clubes náuticos, para vislumbrar com a comunidade desse grande visual.

Por do Sol
Verdade ou mentira não importa, o que sabemos é que o nosso pôr-do-sol em direção ao horizonte do Guaíba é o mais lindo.

Os Plátanos e a vegetação de Mata Atlântica
Mesmo ainda sendo densa a vegetação da Vila Assunção, muito pouco restou da mata virgem natural, mas algumas grandes espécies se perpetuaram da Mata Atlântica Nativa e podem ser vistos por todos em quase todos os lugares.
Os nossos grandes Plátanos na Avenida Guaíba que corta a comunidade é outro grande atrativo, com o seu verde no verão e dourado no inverno, agrega a paisagem o ar bucólico do vilarejo.

Museu do Pescador do Guaíba
Desde 2008 a comunidade com a Associação dos Moradores e o Grupo dos Pescadores da Vitória estão agilizando através de pesquisa e aquisição de material para a montagem de acervo para “Exposição Permanente”, de resgate, para contar a história da comunidade, da região e o acervo do futuro Museu da Pesca, do Brinquedo e Brinquedoteca, com a colocação da Associação Porto-Alegrense dos Praticantes do Ferreomodelismo com apresentação de maquete ferroviária, atrações que fomentem a visitação.

Biblioteca Vila dos Pescadores
Com mais de 1.000 volumes, a biblioteca da Villa Guayba esta aberta ao público em geral, para o empréstimo de livros, fascículos e revistas. Com um bom acervo sobre a história da Vila dos Pescadores, Porto Alegre e do Rio Grande dos Sul. (confirmar quantos volumes)

 Informações                                                                                       

Para os turistas e visitantes que aqui chegam ou passam, a comunidade disponibiliza informações e dicas dos atrativos.

Linha Turística de Porto Alegre
Passeio por Porto Alegre, em ônibus de dois andares com dois roteiros, um pela Avenida Guaíba, administrado pela empresa Carris Porto-Alegrense.
Horário:
Roteiro 2 para Zona Sul – De terça-feira à domingo 13:30H
Saída junto à antiga EPATUR, Largo Zumbi dos Palmares.

Roteiro Pôr-do-Sol: - orientado por guias especializados, percorre a orla do Guaíba, desde a Usina do Gasômetro, no Centro até a Praia de Ipanema, na zona sul da cidade. Oportuniza a contemplação das belezas naturais do lago e de suas margens.
São relatadas histórias da ocupação urbana, questões ambientais e culturais, além do processo de recuperação da orla, através do Programa Guaíba Vive.

 Cultura – Festival de Cor e Tradições                      P                                 

A comunidade tem sua origem cultural na base luso-açoriana, como nas Ilhas dos Açores (Portugal), a comunidade possui uma agenda permanente com as festas principais de fevereiro a novembro, a agenda focada nas festas, festivais e eventos baseados na cultura multi-racial da cidade.
Devido à migração de pessoas, a partir da década de 1980, houve um significativo aumento demográfico, agregando outras apropriações culturais às manifestações locais, contribuindo para a formação da diversidade cultural da comunidade.

- A comunidade é fortemente influenciada pela cultura da cidade, trazida e cultivada pelos nativos e imigrantes que colonizaram a região.

Eventos

Tradições Gaúchas
São preservadas pela comunidade, com a participação em CTG’s e DTG’s, onde o tradicional chimarrão é seivado ao por do sol na beira do Guaíba.
Aos domingos o bom churrasco com cerveja, que confraterniza o espírito em Família.
A comunidade da Villa Guayba em 2011 se prepara para a montagem de um DTG dos Pescadores.

Festa de N. S. dos Navegantes
A padroeira da comunidade, no dia 02 do mês de fevereiro, com missa e almoço festivo, não esquecendo os antepassados Portugueses que estão presentes na mesa de seus moradores, em uma boa receita de peixe frito ou ensopado, uma farofa de mandioca ou milho, e onde não falta um vinho.

Páscoa
Comemorado no período entre os meses de Fevereiro, Março e Abril de cada ano, passado o Carnaval entra a Quaresma ou “Ciclo Pasqualino”, “40 dias após a Quarta-feira de Cinzas”, e termina no Domingo de Páscoa.
Neste período, antes da Semana Santa, ocorre a tradicional Procissão de Nosso Senhor dos Passos na igreja matriz da comunidade Nossa. Senhora da Assunção, uma cerimônia religiosa oficial no centro histórico da cidade na qual participam várias paróquias. Essa procissão reveste-se de muita ornamentação litúrgica e é conhecida pela grande audiência popular.
No domingo de Páscoa, pela tradição germânica, as crianças são agraciadas com doces em forma ou dentro de ovos e coelhos para lembrar a criação e a ressurreição de Cristo.

Festa do Divino
Comemorado entre Maio e Junho, inicia na Quaresma, com a saída da “Bandeira do Divino Espírito Santo”, que percorre as casas coletando donativos para a festa, que acontece no Dia de Pentecostes, “50 dias após a Quarta-feira de Cinzas”. A bandeira é carregada por foliões que pertencem às Irmandades do Divino Espírito Santo.
È comum as bandeiras amanhecerem nas romarias e como o “Terno de Reis”, os foliões recebe comidas e bebidas dos agraciados com a vista.
A festa popular propriamente tem a duração três dias, nos quais a o “Cortejo Imperial”, missa festiva, quermesses, bailes, apresentações folclóricas e queima de fogos.
O bom Fandango, no segundo dia, este maravilhoso ritmo português como no Ribatejo, introduzido no Rio Grande do Sul, como uma de nossas tradições de música e dança.
No último dia, são coroados o “Imperador e a Imperatriz” e eleito o “Festeiro” que coordenará as festividades do ano seguinte.
A comunidade da Villa Guayba tem grande satisfação em participar de todas as etapas da festa.

São João
Festas Juninas comemorado no mês de Junho, as festas de “São João, São Pedro e Santo Antônio”, ocorrem entre 13 de junho dia de Santo Antônio, passando por São João dia 24 de junho e com término no dia 29 de junho dia de São Pedro e São Paulo, nas quadras das escolas e praças públicas.
Com grande Fogueira para durar a noite toda (pela tradição anunciando o nascimento do profeta São João, primo de Jesus).
Na culinária junina predomina o pinhão, batata-doce, cocada, pé-de-moleque, canjica e pamonha e como bebida o quentão (com vinho, gengibre, canela, açúcar e bem quente).
Nas danças apresentam a Quadrilha, Pau-de-Fita e o Casamento na Roça (interpretado e depois dançado), a Ratoeira que é uma ciranda brasileira.

- A dança do Pau-de-Fita, de múltipla origem (portuguesa, alemã, espanhola), também chamada de “Jardineira ou Dança dos Arcos de Flores”. È apresentada em oito duplas de casais que trançam fitas coloridas presas a um mastro alto. Depois, desfazem o trançado sem poder errar, acompanhada de muitas canções e versos rimados.

Festa das Crianças
Realizada no mês de outubro com as crianças da comunidade, com apresentações, brincadeiras e distribuição de brinquedos.  

Chá das Pescadoras da Vitória
Realizado anualmente no Salão Paroquial (Casa das Pescadoras) o famoso Chá das Pescadoras do Grupo dos Pescadores da Vitória da Capela Nossa Senhora dos Navegantes.
Neste evento são homenageados os fundadores da Vila dos Pescadores (atual Villa Guayba) e as pessoas beneméritas da comunidade.

Brechó das Pescadoras
Realizado anualmente no Salão Paroquial (Casa das Pescadoras) do Grupo dos Pescadores da Vitória, para a venda de produtos e artigos angariados durante o ano, com renda revertida as atividades cidadãs da comunidade.

Corações e Pão-por-Deus
Comemorado entre os meses de Outubro e Novembro, são cartas em formato de coração com mensagens de simpatia, amizade ou amor na quais pede-se em verso uma prenda ou presente, que tem o nome de “Pão-por-Deus”, realizados na Capela pelo Grupo dos Pescadores da Vitória, integrando as mulheres da comunidade da Villa Guayba e Vila Assunção e Vila dos Sargentos.
O pedido é feito a pessoa, por poder e respeito, admiradora para admirado, moça para senhora, de moradora de sítio para moradora de cidade, e assim segue.
É tempo de pedidos, agradecimentos, e fim de diferenças e animozidades.
A temporada de peditório termina no Dia de Finados em 2 de Novembro, com a missa na Capela N. S. dos Navegantes.

Natal
Comemorado no período entre os meses de Dezembro e Janeiro de cada ano, onde entram em cena as Folias e os Ternos de Reis.
Grupo de cantadores que anunciam em verso a chegada dos “Santos Reis”, visitando espontaneamente as casas das famílias; festa que pode entrar noite adentro (desde que o dono da casa mantenha a oferta de comes e bebes).

- No dia 25 de Dezembro, a Villa Guayba celebra missa, com a tradicional encenação do Presépio Vivo por jovens da comunidade, à premissa é pela reunião em “Família”.
Esta comemoração vai até o Dia de Reis em 06 de Janeiro.

Participe

Entre outras manifestações locais, estão:
Pesca Artesanal,
Navegação de batera e barco a remo,
Trabalhos Manuais,
Grupo de Poesia e Cidadania,
Grupo Cantante.

Personalidades

- Nas Artes Plásticas: Iara Bauer, pintora e artesã, com grande expressão em Santa Catarina.

Outras Atividades

Gastronomia å
Não esquecendo os antepassados Portugueses que estão presentes na mesa de seus moradores, em uma boa receita de peixe frito ou ensopado, uma farofa de mandioca ou milho, e onde não falta um vinho.
Estão nas derivações de pratos a base de Frutos do Rio e Farinha de Mandioca (que no Sul e mais grossa), como o peixe frito, pirão com peixe, tainha escalada (tainha cortada pelo dorso, salgada e seca ao sol, assada na grelha), sopa e bolinho de peixe, e claro, junto as tradições Gaúchas, como um bom Churrasco e o Chimarrão.
Essas manifestações ainda são percebidas entre os moradores da comunidade.

- Mas o produto famoso da Vila dos Pescadores é o “Bacalhau”, salgado e secado a sombra, um produto tradicional da comunidade.

Literatura ¨
A comunidade possui um grupo de literatura e poesia formado por moradores e convidados que se reúnem uma vez por semana na Casa das Pescadoras, para deleitar do melhor da literatura e desenvolvimento das vocacionais, em um Sarau com as performances poéticas, acompanhadas de música em noites de cultura e deleite.
A Biblioteca da comunidade foi uma grande aquisição e é a forma de suporte para a manifestação cultural do hábito da leitura e do pensamento.

Um verdadeiro Sarau de Cultura

Cinema e Teatro ¸
As entidades que atendem a comunidade promovem manifestações artísticas, como apresentação de filmes, grupos de teatro e dança.

Grupo de Escoteiros
Filhos e Filhas de nossa comunidade participam do Grupo de Escoteiros do Mar –  Passo da Pátria, moldando a personalidade para com o respeito à Família e a Comunidade, dando cara nova a cada geração instruída.
Grupo de Escoteiros
Av. Guaíba, nº
Vila Assunção

Absorva, Assimile Conhecimento e Repasse

 Educação                                                 

uma única escola estadual na Villa Assunção que atende do primeiro ao segundo grau:

Escola Estadual Santos Dumont.
Rua Caeté,
Vila Assunção

Está instalada na comunidade a Escola de Educação Infantil Capela Navegantes, vinculada a ABENSA, e conveniada a SMED.
A Escola foi um sonho que tornou-se realidade, primeiramente instalada no salão de festas da Capela N. S. dos Navegantes, a construção da nova sede foi uma parceria público-privada entre a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Governo do Estado e Capa Engenharia, com o apoio da Associação Comunitária.
Hoje atende 50 crianças, com toda a estrutura necessária para um atendimento diferenciado, dentro das exigências legais.

Escola de Educação Infantil Capela Navegantes—ABENSA
Av. Guaíba, 3955
Vila Guayba

A Vila Assunção possui mais duas escolas infantis particulares.

 Preocupação Ecológica                                   

A comunidade tem uma grande preocupação ecológica com a fauna, principalmente de marsupiais, répteis e as mais de 200 espécies de pássaros nativos e em passagem, que existem nas células de mata nativa na cidade e em toda a orla do Guaíba.

A preservação dos remanescentes de Mata Atlântica na região, onde pode ser observado várias espécies vegetais, de riquíssima florada e frutos.

A limpeza constante da faixa de praia se torna necessária devido ao lixo esgotado dos arroios Dilúvio, Divisa e Cavalhada, e outros materiais do canal do Guaíba que chegam diariamente as suas margens.

Preservar

Guaíba                                                 
Rio, Estuário ou Lago
Mapas do século XVIII denominam de Guaíba o curso de água atualmente chamado de rio Jacuí, registrando Lago de Viamão ao que hoje chamamos de Guaíba.
O Guaíba não possui diferenciação entre nível de base e de origem, desenvolvimento linear e perfil, regime e débitos próprios.
Portanto, não é Rio.
O conceito de Estuário inclui características de foz ampla, lançando águas continentais no oceano. Ora, o Guaíba não reúne estas características e ainda restaria descobrir de que rio ele seria estuário.
Delta é a foz de um rio, com ilhas formadas por sedimentos, lançando suas águas no mar, Logo, o Guaíba não é Delta.
Ria é um estuário pelo mar. Em determinado momento de sua evolução o Guaíba teria sido ria, quando o mar submergiu a foz do Jacuí.
Segundo vários autores o Guaíba é um Lago formado pela falha existente no maciço granítico, que se estende de Osório até o município de Guaíba, onde desembocam os rios Jacuí, Caí, dos Sinos e Gravataí.
O assoreamento provocado por estes cursos de água determinaram o surgimento da planície costeira.
Em Itapuã há uma barragem interrompida, que permite o escoamento das águas do Guaíba, dando-lhe características de lago formado por barragem.

Muitas foram às décadas e a pergunta não era respondida:
Afinal o Guaíba é o que?
Na década de 1980, um grupo de estudo foi criado pelo governo do Estado e emitiu parecer, esclarecendo a questão:
- O Guaíba é um Lago.

- O lugar onde se situa Porto Alegre foi chamado de “Esquina do Rio Grande” pelo historiador Riopardense de Macedo. Recebeu essa denominação por estar à beira do Lago Guaíba, que une dois grandes volumes de águas navegáveis: - Rio Jacuí e a Lagoa dos Patos, na extremidade do escudo Rio-Grandense, o solo mais antigo do Estado.
O Jacuí “Goteira Colossal, uma grande calha”, desce em turbulência de sua nascente localizada no Planalto, cerca de 400 metros acima do nível do mar. Ao atingir a Depressão Central, a 100 metros de altitude, suas águas correm para leste e vão diminuindo a velocidade, de acordo com o suave declive da planície.
No trajeto final, próximo a Porto Alegre, o Jacuí recebe as águas dos rios Taquari, Caí, dos Sinos e Gravataí, formando um delta, uma enorme bacia de decantação onde se acumula a terra arrancada das encostas do Planalto, o Guaíba ainda recebe as águas de uma grande quantidade de arroios que desembocam em suas águas de ambas as margens do lago. Essas águas calmas e barrentas são despejadas no Guaíba, apenas cinco metros acima do nível do mar.
O Guaíba desemboca na Lagoa dos Patos, que lança suas águas no Atlântico, 250 km ao Sul.
Além dessa confluência de águas, o sítio onde a cidade se desenvolveu é ponto de encontro de diversas formações geológicas, que podem ser distinguidas pela vegetação que produzem:
As araucárias do Planalto que chegam a Zona Norte da Cidade.
A cobertura típica da Serra do Mar, onde as últimas elevações atingem Itapuã.
As matas de galeria e os campos da Depressão Central, que cruzam para leste até encontrar o mar em Tramandaí.
Nesse lugar especial também se destacam os morros, outra marca registrada de Porto Alegre, que se alinham em três cadeias:
- Uma sai de Viamão e chega à orla do Guaíba, próximo a Itapuã,
- Outra forma o espigão central que atravessa o município,
- A terceira, ao norte, é uma espécie de escada, desde o ponto mais alto da cidade, o Morro Santana a 311 m, até o Porto Central de Porto Alegre.

O canal natural navegável do Guaíba fica entre a Ilha da Pintada e a ponta da península.
A mistura neste cenário exuberante, água, céu, sol e horizonte onde Mario Quintana nos convenceu de termos “os mais belos crepúsculos do mundo”.

A diversidade de espécies forma o Guaíba, este importante Estuário o “Lago Guaíba”, peixes, anfíbios e vegetação aqui vivem ou usufruem, com seus ecos-sistemas próprios.

O Guaíba faz parte do dia a dia de cada morador, a comunidade tem uma ligação direta com o lago e este com cada um, suas águas, seus pássaros, seu céu, seu pôr-do-sol, compõem este contexto.

Todas as intervenções com relação à recuperação de suas águas e margens integram a comunidade em um comum esforço para tornar estas, realidade, conciliando a comunidade com o rio e poder público.

Conscientização na Villa Guayba                                   
A Comunidade está cada vez mais preocupada e consciente sobre os problemas ambientais e estes sobre os sociais, a visão de uma nova sociedade sustentável, com novos desejos e aspirações.
Preocupadas com o futuro do planeta e as atuais condições do meio ambiente, as pessoas buscam mais informações e aplicam novos conceitos em seu cotidiano.
Levando em conta o consumo consciente e a ecologia, além de iniciar na medida do possível, utilizar produtos de empresas que tenham cuidado com o ambiente, a reutilização de materiais, e, aplicar estas idéias junto a sua Casa e Família.

Porque Reciclar                                                
Para diminuir a exploração de recursos naturais e o consumo de energia.
- Reduz a poluição do solo, da água e do ar,
- Melhora a limpeza da cidade e a qualidade de vida de toda a Comunidade,
- Gera receita pela comercialização dos recicláveis e emprega para a população ainda não qualificada,
- Contribui para formar uma consciência ambiental e valorizar a limpeza urbana.
Reduzir, Reutilizar e Reciclar, são as palavras “da hora”.
- “Evitar o excesso de embalagens na hora de embalar as compras deve ser um hábito.”-
Só de sacolas plásticas de supermercado (sem retorno) é distribuído 1 bilhão por mês no Brasil. No mundo todo é consumido 1 milhão de sacos plásticos por minuto. Agora junte os fatos: o plástico é um derivado do petróleo e leva séculos para se decompor, porém foi inventado há menos de 80 anos. Já dá para imaginar a quantidade de plástico que vaga por aí, em algum lugar do planeta.  
A embalagem é hoje em dia uma presença tão constante no quotidiano de qualquer um de nós, e que se reveste de tão grande importância, que se torna difícil ficar indiferente ao sub-aproveitamento a que é condenada e as conseqüências que isso acarreta para a qualidade do Ambiente e para nossa Vida.
Não é fácil ao ser humano adaptar-se a uma situação, se esta não for difundida principalmente desde nossa infância, a fim de haver a conscientização da necessidade, ou não, de determinada forma, maneira ou norma.
Mesmo assim diante dos acontecimentos do mundo moderno, e o modelo sócio ambiental sustentável, torna-se impar a pessoa agregar modelos para tornar a vida em grupo aceitável em qualquer momento de sua vida, pois a necessidade de muitos começa com a necessidade de um.

Nesta visão atualizada, da realidade de hoje, e de nossa necessidade diária, da otimização do tempo e mudança gradual de hábito, diante do que o Meio Ambiente poderá absorver, vemos ser importante a idéia de substituir a Sacola Plástica pela Bio-Bag (Sacola Retornável) em tecido ou outro material.

Temos que ser objetivos que as coisas não acontecem de uma hora para outra, neste caso temos que ter um meio termo até sua total implantação, uma fase intermediária, a substituição da sacola plástica que no modelo atual demora até 400 anos para se decompor, pelo BioCargo (Saco de Papel), que assim como o saco plástico também é reciclável, mas se cair na natureza será melhor absorvido, sem tanta agressão, por se decompor entre 3 e 6 meses.

- Tente substituir a Sacola Plástica, uma das vilãs do meio ambiente, que demora 300 anos para se decompor, por Eco Bag ou outra bag retornável,
- Outra embalagem poluidora é a Pet de refrigerantes e Embalagens Plásticas de produtos de limpeza, prefira bebidas em garrafa de vidro retornável ou lata, e embalagens de produtos econômicos.

Faça a sua parte, - se importe primeiro com o que você pode fazer.

Secretaria Municipal do Meio Ambiente – SMAM
Rua Carlos Chagas, 55 – Porto Alegre – RS
Fone:

IBAMA
Rua Miguel Teixeira, 126 – Porto Alegre – RS
Fone:

 Esportes e Lazer                                           S

A Villa Guayba perdeu na década de 1980 o seu único campo de futebol, hoje sendo necessário deslocar-se até as praças da Villa Assunção.
A Villa Guayba é atendida por áreas, praças e parques da Villa Assunção, para lazer e prática de esportes. Entre os principais locais de lazer está à orla do Guaíba.
As Corridas, Caminhadas e Ciclismo são praticados por seus moradores e passantes.
Os jovens não dispensam o Skate ou Patins.
As atividades Náuticas relacionadas ao Rio Guaíba é outro forte da comunidade.
A Pesca é a grande atividade, hoje como prática esportiva ou subsistência (para consumo próprio).

A proximidade com os grandes clubes de futebol de Porto Alegre – Sport Club Internacional e Grêmio Foot-ball Porto-Alegrense, os dois clubes representam a maioria de seus torcedores.
Os principais clubes de futebol estão distribuídos em Porto Alegre:
1 clube na Zona Norte – São José
1 clube na Zona Leste – Cruzeiro
3 clubes na Zona Sul – Grêmio, Internacional, Porto Alegre

Anualmente diante da Villa Guaíba é realizada em março na Semana de Porto Alegre o Passeio Ciclístico do Aniversário de Porto Alegre.
Também é caminho da Maratona de Porto Alegre.
A comunidade participa e interage com todos os atletas.                               

 Serviços                                                 P

A comunidade é servida de água tratada, energia elétrica, recolhimento de lixo orgânico e seletivo, telefone, internet, sendo que o serviço de esgoto é deficitário.
O vilarejo não possui posto médico, falta telefone público e caixa de coleta dos correios.
Há problemas nas calçadas com dificuldade de acessibilidade em ambos os lados da Avenida Guaíba e nos becos da comunidade.
As tratativas básicas são atendidas plenamente pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

Recolhimento de Lixo 
- Cada porto-alegrense produz 800 gramas de lixo por dia, o resultado é 1.600 toneladas diárias de detritos.
Com as novas leis e regras relativas ao recolhimento de lixo porta a porta, a comunidade começa a se preparar ao novo sistema de seleção e coleta de lixo que em breve será empregado pela Prefeitura, através da DMLU com a contêinização seletiva (coleta por contêiner).

Horários de Coleta:
Lixo Orgânico
É recolhido durante o dia a partir das 11:00H, 3 vezes por semana as segunda, quarta e sexta-feira.
Existe recolhimento noturno a partir da 01:30H, de segunda a sexta-feira.  

Lixo Seletivo
É recolhido as terças e quintas-feiras, na parte da tarde.

Depósito de Materiais e Resíduos Sólidos
Av. Diário de Notícias, fundos do Hipódromo na rotatória de acesso a Av. Guaíba
Descarga 24 horas

Lixo Zero
É expressamente proibida à colocação de lixo sobre a calçada ou via pública fora do dia e hora de recolhimento, acarretando multa para o infrator.

Como Separar o Lixo Doméstico:

- Não misture Recicláveis com Orgânicos.

- Coloque os Plásticos, Vidros, Metais e Papéis em sacos separados.

- Lave as embalagens do tipo Longa Vida, Latas, Garrafas e Frascos de Vidro e Plástico.

- Seque-os se possível, mas retire todo o líquido, antes de depositar nos Coletores.

- Papéis devem estar secos. Podem ser dobrados, mas não amassados.

- Embrulhe Vidros quebrados e outros materiais cortantes em papel grosso (do tipo jornal) ou coloque-os em uma caixa para evitar acidentes.

- Garrafas e Frascos não devem ser misturados com os Vidros Planos.

- Outros Materiais como Caliça, Móveis, restos de Vegetação e Poda, existem áreas específicas que a Prefeitura disponibiliza, são depósitos de passagem espalhados pela cidade.

- Não jogue lixo e materiais fora dos locais de recolhimento, não provoque poluição, isto é um retorno negativo para sua própria vida, como enchentes e doenças.
Passe esta Idéia!

Abastecimento de Água
A água tratada é fornecida a 100% da comunidade pelo DMAE.

Esgoto
A comunidade é atendida por esgoto pluvial, todas as unidades habitacionais possuem esgoto cloacal não recolhido. O DEP eventualmente efetua a limpeza das bocas de lodo da região. A cidade possui projeto para o tratamento de esgoto doméstico, com previsão de esgoto coletado e tratado para 2014.

Ajardinamento – Praças e Passeios
A comunidade possui uma praça (Tabira) entre as avenidas Guaíba e Pereira Passos, e diversos recantos, que tem sua manutenção satisfatória pela SMAM.
Existem problemas com as calçadas e passeios públicos, que estão sendo sanados.

Energia Elétrica
A energia elétrica é fornecida pela CEEE, problema que a comunidade está enfrentando para dar uma solução.

Policiamento
A comunidade é pacata, de trabalhadores, onde não ocorrem crimes ou perturbação da paz.
O serviço de policiamento é feito por solicitação quando necessário a Brigada Militar e Polícia Civil.

Brigada Militar – 190
Polícia Civil – 194
Bombeiros – 193

Correios
O Código de Endereçamento Postal da Avenida Guaíba: 91900-410
A comunidade é servida por todos os serviços de entrega da EBCT, mas é carente de caixa coletora dos Correios.

Tudo Fácil
Serviço de atendimento ao cidadão, disponibilizado pelo Governo do Estado.
Avenida Wenceslau Escobar,  - Bairro Tristeza (loja do antigo Banrisul).

 Economia                                                P

Por ser uma comunidade de trabalhadores que se deslocam a outros locais da cidade, a comunidade tem pouca atividade econômica, entre: - entidades, pequenas empresas e profissionais autônomos de prestação de serviços presentes no vilarejo, conforme relação abaixo:

Estabelecimentos comerciais na Comunidade:
Bar Verde 1
Lanches e Cheese
Romeu Fotógrafo
Associação Comunitária – Casa do Pescador
Igreja Evangélica Nova Aliança
Bar Laranja 2
Marcenaria Azul
Marcenaria Mosa
Armazém Verde
Estacionamento
Salão de Atividades
Capela N. S. dos Navegantes
Costureira
HB Salão de Beleza Unissex
Iara Bauer Artes
Casa de Religião Africana
Mini Mercado Braga
Gu@iba Lan House
Oficina Mecânica
Peixaria Da Lagoa
Consultora Natura
Bar Azul 3
Escola de Educação Infantil Capela Navegantes
Confecção – Costureira
Estação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar
Posto de Venda de Peixes

A comunidade tem prestadores de serviços nas mais diversas áreas:
- Pedreiro
- Carpinteiro
- Azulejista
- Pintor
- Encanador
- Eletricista
- Serralheiro
- Técnico em Informática

As donas de casas da Villa Guayba também complementam a renda familiar como consultoras de produtos ou revendas.
Prestigie nossas consultoras adquirindo produtos:
Avon – Natura – Jequiti – Hermes

Compras
Várias unidades de comércio cercam a região, a Avenida Wenceslau Escobar é o principal eixo comercial da zona sul, em especial entra a Avenida Pereira Passos e Padre Réus, gerando opções para todas as situações e custos com benefícios de seus moradores, as galerias comerciais são uma característica desta área.

Barra Shopping Sul
Paseo Zona Sul
Centro Comercial Copacabana
Nacional Supermercados

 Saúde                                                    

A comunidade não tem posto de saúde instalado, o atendimento é feito pelo PSF (Posto de Saúde Familiar) do bairro Tristeza, na Avenida Wenceslau Escobar.

Samu
Serviço de remoção de urgência
Fone: 192

PSF – Posto de Saúde Familiar
Av. Wenceslau Escobar,    – Tristeza
Fone:

Hospitais da circunvizinhança para pronto atendimento:

Pronto Atendimento da Vila Cruzeiro
Farmácia
SAE
Rua Prof. Manoel Lobato,   – Santa Tereza
Fone:

Hospital da Brigada Militar
Rua Dr. Castro de Menezes, 156 – Villa Assunção
Fone:

HPS – Hospital de Pronto Socorro
Av. Osvaldo Aranha, s/nº – Bom Fim
Fone: 3289.7999

Hospital Parque Belém
Av. Prof. Oscar Pereira, 8.300 – Cascata
Fone:

Hospital Vila Nova
Rua Catarino Andreatta, 155 – Vila Nova
Fone:

 Trânsito                                                  P                             

A comunidade tem trânsito intenso com o tráfego de veículos automotores e ciclomotores, é grande principalmente nos horários de “rush”, na manhã e a tarde, pelo motivo da Avenida Guaíba ser uma importante via de ligação entre o Centro e a Zona Sul da cidade.

A EPTC – Empresa Porto-Alegrense de Transporte e Circulação é responsável pelo atendimento das ocorrências pertinentes ao trânsito na vila, fazendo desde travessias de pedestres e escolares em áreas de grande movimentação, até atendimentos de acidentes na área sob sua jurisdição.

Estacionamento Proibido
Um sério problema é a falta de vagas para estacionamento com relação ao número de automóveis, existe a imprudência de estacionar sobre a calçada, atrapalhando a circulação dos pedestres e destruição do calçamento.

Informativo de Acessibilidade:

- Conforme Código Nacional de Trânsito e Lei Municipal.
- É expressamente proibido estacionar sobre canteiro central e passeio público.

A EPTC informa:
- Estacionar veículos sobre o canteiro central ou passeio é uma infração grave, de cinco pontos na habilitação, multa de R$ 127,69 e remoção do veículo.

Conforme orientação da EPTC, todos os veículos que forem encontrados nesta condição, dia ou noite serão guinchados ao depósito municipal.
Os agentes da EPTC irão reforçar o monitoramento na região para que as leis do Código de Trânsito sejam respeitadas por todos.

Pedimos o cuidado e a colaboração de todos, para os proprietários não terem problemas com seus veículos e mídia negativa na Comunidade.

Notícia vinculada em outubro de 2010 no Jornal Correio do Povo e RBS TV expôs o problema na Avenida Guaíba, Vila Assunção.
Publicado em Zero Hora – caderno ZH Zona Sul 24/12/2010.

Transporte Público v
O transporte público é operado pelo Consórcio STS, formado pelas empresas de transporte coletivo da Zona Sul.
A linha de ônibus a 180-Diário de Notícias atende diretamente a vila, mas tem deficiência de horário.
A comunidade não possui linha de Lotação e Ponto Fixo de Táxi.

Linhas de ônibus que atendem a comunidade:
180 – Diário de Notícias
B/C:  06:30 – 07:15 – 8:30 – 13:35
C/B:  12:30 – 17:30 – 18:30- 19:30

188 – Assunção
280.1 – Pereira Passos
280.2 – via Hospital da Brigada
C-80 – Circular Sul

Bicicleta b
A região e altamente utilizada por ciclistas para passeio ou deslocamento, que usam a via para circular, ou se dirigir a orla do Guaíba, existe ciclovia instalada paralela a Avenida Diário de Notícias.

EPTC - Empresa Porto-Alegrense de Transporte e Circulação
Fone:

 Habitação                                              B

Todos os moradores da Villa Guayba possuem residência, mas existem carências na qualidade habitacional, principalmente no acabamento e ordenação viária.
Algumas unidades do vilarejo são verdadeiras pequenas “Quintas”.
Apesar de sua densidade elevada, não há cortiços na comunidade.
A restauração de imóveis e infra-estrutura será custeada a medida do possível, gradativamente pela comunidade em parcerias.

Informativo:
- Dentro do PDDUA, existe o capítulo especial sobre “Habitação de interesse social” prevê a regularização de loteamentos irregulares e clandestinos, que hoje compõem aproximadamente 30% da cidade: - é o que os técnicos chamam de cidade “Real”, a ser progressivamente incorporada pela cidade “Formal”.

- Uma novidade do Plano Diretor é a compra da licença para construir mais andares em algumas zonas determinadas, gerando recursos para habitação popular.

Demhab – Departamento Municipal de Habitação
Av. Padre Cacique,    - Praia de Belas
Fone:

 Comunicações                                          P

Pela proximidade do Centro de Porto Alegre a comunidade é bem servida dos serviços de comunicações da cidade:

Rádio º
Todas as rádios da capital e região são captadas na comunidade.

Televisão ¾
A Villa Guayba é atendida pelos canais de TV aberta local, UHF e Serviço de Canais pagos.
Área de cobertura:

TV Record, canal 2
TV Pampa (Rede TV), canal 4
TV SBT, canal 5
TV Piratini (Cultura/ Rede Brasil), canal 7
TV Bandeirantes, canal 10
RBS TV (Globo), canal 12
TVCOM (RBS), canal 36
Ulbra TV, canal 48
TV Urbana (Rede Brasil), canal 55

Além desses, possui a representação de outras redes de televisão do país em UHF:

MTV (SP) - 14,
Record News (SP) – 18,
Rede Vida (SP) - 20,
Canção Nova (SP) – 24,
Futura (SP) – 30,
Mix TV (SP) – 40,
RIT TV (PR) – 42,
CNT (SP) – 46,
TV Novo Tempo (SP) – 50,
TV Aparecida (SP) – 59.

Jornal ª
A comunidade é servida por jornais impressos de circulação local e estadual, com entrega domiciliar.

Telefonia e Serviço de InternetÉ
O DDD do Estado, código de área 51.
 A comunidade possui 3 telefones públicos (orelhões), colocados 1 em cada extrema e um no centro em frente ao Mercado Braga.
- Serviço de telefonia fixa através das empresas Oi (antiga Brasil Telecom), GVT e Net.
- Serviço de telefonia móvel provido pela Oi (antiga Brasil Telecom), Vivo, Claro e Tim.

 Cidadania                                                P

Todos os moradores são eleitores aptos a realizar o esforço de cidadania, o que assegura aspirações para si, para comunidade, para todos.

Título de Eleitor
É o documento que assegura o direito de escolha de seus representantes nas Câmaras Municipais, Prefeituras, Assembléias Legislativas e no Congresso Nacional, governadores dos Estados e do Presidente da República.

O voto é Facultativo
Para maiores de 16 e menores de 18 anos, maiores de 70 anos, e analfabetos

O voto é Obrigatório
Entre 18 e 70 anos

Zona Eleitoral
É a região delimitada dentro de um Estado, gerenciada pelo cartório eleitoral, que centraliza e coordena os eleitores ali domiciliados.
Para as eleições majoritárias, são dividas em dois turnos quando não havendo votação por candidato superior a soma de todos os demais.
O horário no dia das eleições é sempre das 08:00 às 17:00h.
No dia da votação dirija-se a sua Zona Eleitoral, leve o título de eleitor e um documento com foto.
Eleitores fora do domicílio eleitoral devem justificar.
No site do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, www.tse.gov.br o eleitor pode obter certidão de quitação eleitoral e certidão de Crimes Eleitorais.
Também é possível verificar a situação do título e locais de votação.
O eleitor no exterior encontra esclarecimentos sobre votação, serviços eleitorais, além de informações sobre embaixadas e consulados.

Tribunal Regional Eleitoral
Rua Padre Cacique, 96
Porto Alegre - RS
51 3230-9600

Pratique Democracia - Vote Consciente

 Características Geográficas                                                   P

Dados Aproximados da Villa Guayba
Área: 500 m²
Residências: 188 unidades habitacionais
População: 550 habitantes, distribuídos.
Homens
Mulheres
De 0 a 12 anos
Descendência

População composta por várias etnias, onde seus descendentes labutam como pescadores, comerciários, autônomos, profissionais liberais, pequenos empresários.

O Vilarejo está construído sobre formação rochosa do maciço da Ponta do Dionísio em direção ao Lago Guaíba, e parte sobre o aterro hidráulico do Cristal.

 Localização da Villa Guayba                              B

Micro-região:   Villa Assunção
Meso-região:   Bairro Tristeza
Cidade: Porto Alegre
Unidade Federativa: Rio Grande do Sul
Limites: - bairro Assunção: bairro Cristal, bairro Tristeza, Lago Guaíba          
Distância do Centro: 8 km

Ache

Principal Artéria Viária:
Avenida Guaíba, não é uma via contínua, inicia na rótula da Avenida Diário de Notícias, e termina no Belém Novo, dividida em vários seguimentos.

Vias Secundárias:
Avenida Diário de Notícias, inicia na rotula do Barra Shopping e termina na Avenida Wenceslau Escobar.
Avenida Pereira Passos, uma das principais artérias da Vila Assunção, inicia na Avenida Guaíba e termina na Avenida Wenceslau Escobar.

Acesso interno para pedestres na Villa Guayba:
Divididos da rua geral (Avenida Guaíba), becos contra a calçada, acessos interno.

Nomenclatura:
Até uma casa no acesso é considerado - Fundos.
Bifurcações dentro do Beco é considerado - Acesso.
Acima de duas casas da rua geral é considerado Beco.
Todos os Becos nominados de A a Z.
Todos os Acessos nominados de 1 em diante.
Todas as casas dos Becos e Acessos nominadas de 1 em diante.
As casas com frente para a Avenida Guaíba devem ser numeradas na seqüência numérica da própria avenida.

Nominatas:

- Os becos do Centro de Porto Alegre, existentes anterior a 1920:
Beco do Vieira (virou Rua Bela e depois Rua General Portinho),
Beco dos Ferreiros (Rua Uruguai),
Beco do Poço (absorvido mais tarde pela Borges de Medeiros), Rua do Poço (Jerônimo Coelho),
Beco Arco da Velha (mais tarde Beco da Prisão, depois General Vitorino),
Beco do Brito (Travessa Acelino de Carvalho),
Beco dos Guaranis (Rua General Vasco Alves),
Beco Pedro Mandinga (Rua General Canabarro),
Beco do Leite (entre a Rua Andrade Neves e Rua da Praia), onde morava o Sr. Leite,  também conhecido como “Beco do Mijo”, pois os homens ao saírem das casas de pouca reputação da Rua Andrade Neves, ali mijavam, sendo o cheiro insuportável); e o
Beco do Trem (que não mais existem), nestas ruas se concentrava a vida urbana de Porto Alegre.
Beco do Barbosa (Rua Barros Cassal).
Beco do Império (Rua Espírito Santo).
Beco do Garapa (Rua General Câmara), antiga Rua da Ladeira, Rua Direita, Beco do João Inácio ou Beco do Garapa, Rua do Ouvidor.
Beco do Fanha (Rua Caldas Junior), antiga Travessa Paissandu.
Beco do Firmo (Rua Avaí)

Início do arruamento da Vila dos Pescadores, junto ao Sava Clube
Praças:
Praça Tabira

Beco A
Beco B
Beco C
Beco D
Beco E
Beco F
Beco G
Beco H
Beco I
Beco J
Beco K
Beco L
Beco M
Beco N
Beco O
Beco P
Beco Q

PImóveis na Villa Guayba, com frente para a Av. Guaíba

- Ponto limite inicial - Clube Veleiros do Sul
(Marcação provisória)
Bar Verde Claro
1 – Casa branca com faixa de lajota
1A – Sobrado sem reboco
2 - Casa de madeira laranja e branco
Beco 1
3 – Casa amarela
4A – Casa cor de cimento
4 – Sobrado verde claro
5 – Casa creme
6 – Choupana do Índio
7 –
8 – Casa verde abacate
9 – Casa lilás
10 – Sobrado verde claro
11 –
12 – Casa tijolo à vista – Romeu Fotógrafo
13 – Beco 2
14 – Casa creme
15 – Casa creme
16 – Meia água com salpique sem pintura
Beco 3
17 – Casa garagem, sem pintura
18 – Casa branca
19 –
20 –
21 –
22 – Sobrado verde
23 –
24 – Casa branca e azul
25 – Beco 4
26 – Associação Comunitária dos Pescadores da Villa Guayba – Casa do Pescador
27 – Beco 5
28 –
29 – Beco 6 - e Igreja Evangélica Nova Aliança
Beco
30 – Bar laranja
31 – Casa rosa
32A – Beco 7
32 – Marcenaria azul
Beco
33 – Beco 8
34 – Casa laranja
35 – Beco 9
36 – Garagem tijolo à vista
38 – Marcenaria do Mosa
40 Fundos – entrada do prédio 4 pisos
40 – Armazém verde claro
40A – Apto. no térreo
41 –
42 – Casa verde claro com branco, terreno baldio, Estacionamento
Beco 10
42 – Casa azul
44 – Casa verde claro
46 – Salão Paroquial, Casa das Pescadoras
48A – Fundos
48 – Capela Nossa Senhora dos Navegantes
50 – Casa laranja - Costureira
52 – Sobrado verde e branco, HB São de Beleza Unissex
54 – Sobrado amarelo
54A – Beco 11
56 – Casa branca, Iara Bauer Artes (Artista Plástica) e Sô Artesanato
58 – Casa de Religião Africana
60 – Casa laranja e marrom
62 – Casa branca
Beco 12
64 – Sobrado rosa
66 – Sobrado, Mini Mercado Braga
68 – Sobrado
70 – Casa verde
72 – Casa cinza e branco
74 – Casa branca
76 – Sobrado amarelo
Beco 13
78 – Sobrado, Gu@iba Lan House
Beco 14
80 – Casa branca
82 – Casa branca
84 – Sobrado
Fundos
84 – Casa rosa
86 – Sobrado tijolo à vista
88 – Casa salpicada sem pintura
90 – Casa garagem em grade branca
92 – Prédio com duas portas de garagem branco e verde
94 – Casa garagem branca
96 – Casa flamingo
97 – Casa em obras
98 – Casa de tijolo branco à vista
98.1 – Casa branca em obras
100 – Casa garagem tijolo à vista
102 – Sobrado flamingo, Peixaria Da Lagoa
104 – Casa madeira verde folha, Consultora Natura
106 – Casa laranja e branca
106 – Casa azul, Bar 3
107 – Beco 15
108 – Casa madeira azul escuro
110 – Casa madeira
Beco 16
112 – Sobrado lajotado
114 – Sobrado branco
116 – Sobrado amarelo
134 – Casa com duas garagens amarelo e marrom
140 – Muro de telha em alumínio
142 – Sobrado amarelo e creme
154 – Laboratório do DAER – antiga Estação das Barcas

3955 – ABENSA – Escola de Educação Infantil Capela Navegantes
4013 – Casa branca, Costureira e Confecção
4015 – Casa branca
4021 – Terreno com várias casas
4023 – Sobrado flamingo
Fundos
4027 – Casa branca
Beco 17
4029 – Casa branca, antigo armazém
Beco 18
Estação do Corpo de Bombeiros
4031 – Sobrado
4031.1 – Fundos, Venda de Peixe

Praça Tabira

Ponto limite final – Sava Clube

Nenhum comentário:

Postar um comentário